5 práticas para um processo seletivo mais agradável

Encontrar um emprego é uma jornada desafiadora e, muitas vezes, estressante para os profissionais. 

Um dos pontos de atrito é o processo seletivo, quando é frustrante para os candidatos. 

Por isso, empresas e consultorias de recrutamento devem ter atenção redobrada neste cenário. Várias práticas podem ser melhoradas e tornar esses processos mais transparentes, eficientes e agradáveis para os candidatos. 

Aqui estão cinco aspectos a serem considerados:

Comunicação transparente e ativa

Problema: É comum a queixa dos candidatos sobre falta de comunicação durante o processo seletivo. E-mails não respondidos, falta de feedback após entrevistas e de atualizações no andamento do processo seletivo. 

Solução: As empresas e consultorias de recrutamento devem garantir uma comunicação eficaz. Isso significa dar feedback em cada etapa do processo, mesmo que o candidato não seja selecionado. 

Além disso, manter os candidatos informados sobre o status do processo, seja por e-mail, telefone ou outras plataformas de comunicação, é fundamental para manter um relacionamento positivo. É possível, inclusive, perguntar ao candidato no início de que forma ele prefere ser contatado. 

O feedback deve ser feito com todos, mesmo aqueles não selecionados. Se um bom candidato se decepciona no primeiro processo seletivo, dificilmente aceitará participar de uma nova jornada para outra posição. 

Processos simples são mais eficientes

Problema: Muitos processos seletivos são longos demais, com múltiplas etapas que parecem redundantes ou mal coordenadas. Os candidatos muitas vezes se sentem perdidos e não sabem o que esperar em cada etapa.

Solução: Simplificar os processos melhora a experiência do candidato. 

Isso pode ser feito com a definição das etapas desde o início, com informações acessíveis e claras para os candidatos sobre o que esperar em cada fase, com o cuidado de evitar etapas desnecessárias ou repetitivas. 

Além disso, fornecer um cronograma ajuda os candidatos a se planejarem, o que reduz a ansiedade da espera.

Avaliação de competências relevantes

Problema: Muitos candidatos reclamam que os processos seletivos se concentram em aspectos irrelevantes para o cargo em questão, como perguntas clichês durante as entrevistas ou testes de habilidades que não estão relacionados às responsabilidades da função.

Uma das mais clássicas reivindicações dos candidatos é a exigência de inglês para vagas que passam longe de utilizar o idioma no dia a dia.

Solução: As empresas e suas consultorias de recrutamento devem garantir que suas avaliações se concentrem em competências e habilidades relevantes para o cargo. 

Para isso, é preciso contar com descrições de cargos bem feitas, alinhadas com as necessidades específicas da empresa e do departamento em questão. 

E não esqueça das perguntas feitas durante as entrevistas. Elas devem ser pensadas para avaliar as competências chave para o sucesso no cargo. Veja como fazer uma entrevista por competências

Experiência do candidato é prioridade

Problema: muitas vezes, os processos seletivos são estruturados para atender às necessidades da empresa sem levar em conta a experiência do candidato. 

Além de afetar o resultado final, Isso pode prejudicar a reputação da empresa no mercado de talentos porque passa uma mensagem de desvalorização dos candidatos.

Solução: as empresas e consultorias de recrutamento devem priorizar a experiência do candidato em todos os aspectos do processo seletivo. Desde a descrição de cargo até o cuidado com a comunicação e o feedback durante o processo. 

Oferecer uma experiência personalizada e atenciosa significa também tratar cada candidato com respeito e consideração. Parece óbvio, mas faz uma grande diferença na percepção da empresa como marca empregadora.

Humanização: uso inteligente da tecnologia 

Problema: em muitos casos, a tecnologia é usada de forma inadequada ou excessiva nos processos seletivos, o que torna tudo mais complicado e impessoal para os candidatos.

Solução: as empresas e consultorias de recrutamento devem adotar uma abordagem equilibrada ao usar tecnologia nos processos seletivos. 

É possível contar com robôs para a automação de tarefas administrativas que liberam tempo para interações humanas, assim como o uso de plataformas de recrutamento online intuitivas e fáceis de usar ou a incorporação de ferramentas de avaliação online. 

O objetivo deve ser usar a tecnologia para melhorar a eficiência e a experiência do candidato, não para complicar ainda mais o processo, eliminar a interação humana e aumentar a “distância” entre o candidato e a empresa. 

Empresas e consultorias de recrutamento que possuem processos seletivos mais eficientes, são aquelas que valorizam a experiência do candidato e o uso inteligente da tecnologia.

São elas que possuem mais chances de serem bem-sucedidas para atrair e selecionar os profissionais mais qualificados, que é o principal desafio da área de recursos humanos.

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou