Como usar as redes sociais para talentos

Para os candidatos, as redes sociais são uma fonte essencial para busca de emprego. Estudos indicam que os brasileiros estão entre as populações que mais usam essas ferramentas para pesquisar vagas. 

Para quem está empregado, as redes sociais são uma forma de divulgar o trabalho. Por outro lado, representam também um risco. Até o fim de 2022, havia 157 processos no país que relacionam demissões por justa causa e as plataformas digitais, 45% mais do que em 2021. 

Mas de que forma recrutadores e gestores de RH das empresas podem se aproveitar dos benefícios da conectividade?

Confira como tornar a rede social uma ferramenta útil nos processos de seleção e no dia a dia da empresa.

Divulgação de vagas

É a primeira ação para alcançar o público. As empresas podem compartilhar anúncios de emprego, seja em busca de um público amplo e diversificado, seja de uma audiência mais específica. 

A prática permite se comunicar com candidatos que estão à procura de emprego e também os passivos, que estão empregados, mas que podem se interessar por uma oportunidade relevante.

Embora essa seja a forma mais simples de utilização das redes sociais pelas empresas, isso não significa que ela deve ser feita sem cuidados. A forma como os anúncios são criados, as palavras escolhidas e a mensagem que a empresa passa ao divulgar uma vaga faz a diferença não só na atração dos candidatos, mas também na imagem que a organização passa para o mercado. 

Marca empregadora

Por falar em imagem, as redes sociais são uma plataforma para as empresas construírem e promoverem sua marca empregadora. É possível levar informações sobre sua cultura corporativa, benefícios, diferenciais de bem-estar e plano de carreira. 

Além disso, é nessa hora que uma empresa define seu posicionamento e se diferencia da concorrência. Isso ajuda a atrair talentos alinhados com a cultura e os objetivos da empresa.

Pesquisa de candidatos 

As redes sociais são meios de pesquisa e avaliação de candidatos em potencial. Perfis profissionais do LinkedIn, por exemplo, fornecem uma visão detalhada das habilidades, experiências e recomendações dos candidatos. 

Outras plataformas como Facebook, Twitter e Instagram podem trazer informações adicionais sobre um candidato, como suas atividades extracurriculares, interesses e conexões profissionais.

Engajamento com os candidatos

As redes sociais permitem que as empresas se envolvam com os candidatos, construindo um relacionamento desde o início do processo seletivo. É uma estratégia para mostrar transparência, atenção e interesse pelos profissionais que também estimula a atração de talentos qualificados.

No entanto, é importante lembrar: o uso das redes sociais no recrutamento e seleção apresenta desafios e requer prudência. 

As empresas podem contar com auxílio especializado em recursos humanos para seguir as diretrizes éticas necessárias com dados e praticas para evitar problemas de discriminação e de privacidade dos candidatos.

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou