Por Gabriela Balestrin, Country Manager da Pyou Brasil

 

Algumas semanas atrás fui questionada sobre “cobranças”.

“Como posso cobrar uma pessoa do time pela sua entrega?”

Essa pergunta abriu uma reflexão relevante, a qual trago para vocês aqui.

Por qual motivo cobramos alguém?

As respostas são várias, mas a causa raiz é – ou deveria ser – houve uma quebra de combinado.

Ninguém gosta de monitorar o trabalho do outro, mas o que as pessoas gostam menos ainda é de serem deixadas na mão. E não importa o cargo ou a senioridade.

Então, a causa de muitas cobranças parte da confiança que temos no trabalho do outro, se não confiamos cobramos mais, ou mais cedo do que deveríamos.

Mas o que podemos fazer sobre isso? Ter clareza sobre os combinados!

  1. Qual o prazo para entrega?
  2. Há entregas parciais? (Aqui encontra-se um instrumento para garantir que a entrega final esteja conforme o combinado).
  3. Qual o meio dessa entrega?
  4. Qual o impacto de um atraso?

Com essas questões claras para o time, a cobrança fica também mais leve. Cada um saberá exatamente o esperado e poderá sinalizar problemas que impactem a entrega final. Vale lembrar que quando há muitas entregas concomitantes em um time pouco entrosado ou de pessoas júnior, a chance de que a priorização seja equivocada também é grande!

Neste caso, a liderança ou gestão de projeto há a obrigação de definir as prioridades de cada membro, para que a esteira de entregas não seja prejudicada. Usualmente serão priorizadas as entregas externas, ou seja, para clientes. Mas em casos pontuais entregas internas podem sim ser a prioridade.

O importante é que, seja você líder ou liderado, tenha clareza dos acordos com os quais se comprometeu.

A CEO do Nubank, Cris Junqueira, já mencionou algumas vezes a característica que retém mais importante em um profissional: confiabilidade (reliability). Esforce-se para ser sempre um profissional em que os colegas e a liderança possam confiar, este é certamente o caminho do sucesso.

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou