Manter uma empresa conectada às mudanças é a melhor forma de ser competitivo no mercado. Para isso, o aprendizado contínuo é fundamental. 

Mas investir na cultura do aprendizado nem sempre é fácil. Uma pesquisa do LinkedIn mostra que mais de um terço dos profissionais de desenvolvimento de pessoas procuram formas para estimular o engajamento dos funcionários em aprender. 

Um dos desafios é motivar líderes que costumam ser os profissionais com mais tempo de carreira. Muitos acreditam que sua trajetória basta para se sustentar aos novos tempos. 

A verdade é que, apesar de essencial, a experiência é um farol que ilumina o passado. Se os profissionais param de aprender e se atualizar correm o risco de tomar decisões baseadas em uma realidade que já não existe.

Por isso, algumas técnicas ajudam a incentivar e proporcionar oportunidades para que os colaboradores adquiram novas habilidades e conhecimentos. Confira algumas dicas:

Ofereça reconhecimento

Os programas de treinamento para os funcionários podem ser para desenvolvimento de habilidades técnicas, comportamentais ou de liderança. Mas para conseguir o engajamento necessário não basta investir em cursos, palestras e workshops se as pessoas não participam. 

Uma das táticas utilizadas pelas empresas é o reconhecimento. Para fomentar a participação, é possível dar prêmios para quem completa um treinamento. Algumas empresas oferecem um jantar, viagens e passeios. Outras dão certificados que comprovam a conclusão de cada fase de um projeto e que podem ser credenciais para um próximo passo na carreira dentro da empresa. 

O mais importante é que as organizações criem recompensas que estejam alinhadas ao contexto interno. 

Estabeleça metas conectadas aos objetivos profissionais

Definir metas de aprendizado individuais para cada funcionário incentiva que eles aprendam, principalmente se isso colaborar para a evolução profissional. 

Quando as pessoas entendem e são capazes de materializar o benefício de um aprendizado em suas carreiras, é mais fácil colocar energia no processo. Por exemplo: projetos de upskilling podem ter mais participação quando os funcionários aprendem novas habilidades que serão úteis para posições que eles queiram ocupar no futuro. 

Os líderes devem dar o exemplo

O líder deve mostrar que valoriza o aprendizado contínuo. Quando outros funcionários veem que até o CEO participou de um programa de capacitação, vai ser bem mais fácil para eles admitirem que também precisam aprender. 

A PIxar, famosa pela inovação e criatividade de suas animações, possui internamente a Universidade PIxar e estimula que todos na empresa participem, até mesmo os fundadores. Na universidade, é possível fazer cursos técnicos e diretamente ligados ao setor de entretenimento, mas também outros que são feitos por diversão ou curiosidade.

Atenção aos formatos

Na hora de criar um programa de desenvolvimento de novas habilidades, é preciso considerar de que maneira eles podem ser aplicados para se ajustar às necessidades das pessoas. 

Em alguns lugares, o formato online e individual pode funcionar. Em outros, a melhor saída é o processo em grupo e presencial. A liderança de recursos humanos deve identificar os formatos que se adequam ao perfil dos funcionários. 

O que a gestão de recursos humanos deve sempre ressaltar é que incentivar o aprendizado nas empresas contribui para o sucesso da organização e das pessoas a longo prazo. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou