10 tendências para o recrutamento de líderes

Não sabemos o que vem pela frente. Seu concorrente também não sabe. É neste cenário de incertezas que as áreas de talentos e recursos humanos precisam construir empresas mais resilientes às mudanças do mercado. 

Os próximos desafios podem ser tecnológicos, econômicos, de saúde ou cultural do mercado de trabalho. E podem ser todos ao mesmo tempo. O futuro é cheio de interrogações e é nisso que os profissionais de RH podem focar na hora de buscar líderes. 

Listamos dez pontos que as equipes de RH devem olhar na hora de contratar um novo líder que seja capaz de conduzir suas equipes em um ambiente com tantas dúvidas. 

O recrutamento transforma o negócio

Valorizar o recrutamento é o primeiro passo. As maiores empresas sabem que as pessoas são as principais responsáveis por colocar uma empresa na rota do crescimento. De acordo com o LinkedIn, 87% dos profissionais de recrutamento acreditam que a função de contratação de talentos se tornou mais estratégica no último ano. 

As habilidades certas

Trabalhar em um ambiente em transformação e que pode ser de alto risco exige competências para que o líder navegue em segurança por mares nunca navegados. Atualmente, as soft skills mais desejadas são: comunicação, construção de relacionamento, adaptabilidade, solução de problemas e visão de negócios.

Menos diplomas, mais capacidade

O recrutamento deve se encantar menos com um currículo glamuroso, recheado de diplomas e experiências, e mais para o potencial, a capacidade e os resultados que um líder obteve em seus trabalhos anteriores.

De olho no aprendizado

Muita gente coleciona diplomas, mas depois de um tempo de carreira se acomoda. Por isso, o olhar de um líder deve conter o desejo e a motivação de aprender e a capacidade de levar uma cultura de aprendizado para a empresa. 

Recrutamento mais humano

Com a Inteligência artificial e a automação de processos de recrutamento, a abordagem e o foco na humanização do processo devem ser maiores. O RH precisa direcionar esforços para ouvir as demandas de negócio e do ambiente de trabalho, além de criar soluções para melhorar o engajamento.

Diversidade e inclusão

É importante buscar pessoas com variadas experiências, perspectivas e origens. A contratação de mulheres, pessoas de diferentes etnias, idades e culturas, além da inclusão de profissionais com deficiência oferecem mais capacidade de se adaptar e entender as demandas de stakeholders, clientes e funcionários.

Gerenciamento de equipes remotas

Apesar da resistência de algumas empresas em manter o trabalho remoto, encontrar gestores que podem liderar pessoas em home office e que se comuniquem bem por meio de ferramentas digitais é fundamental.

Desenvolvimento de talentos 

Com a dificuldade de encontrar mão de obra qualificada e reter talentos, o líder também deve saber como identificar e desenvolver talentos dentro da organização.

Competências digitais

Hoje toda empresa é uma organização baseada na tecnologia. Portanto, os líderes precisam contar com habilidades em tecnologia e inovação e liderar transformações digitais.

Marca empregadora, propósito e valores

Além de todas as competências necessárias, o líder precisa estar em sintonia com a filosofia da empresa. A liderança tem o papel de guiar suas equipes para promover a cultura organizacional internamente.

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou