“A alegria que se tem em pensar e aprender faz-nos pensar e aprender ainda mais”.

A frase, atribuída a Aristóteles, mostra que o aprendizado contínuo é um conceito antigo. A diferença é que se aprender já era importante na Antiguidade, essa habilidade se tornou ainda mais importante, quando a tecnologia transformou o mundo e os negócios, com muita rapidez.

Neste contexto, o papel das empresas é estimular seus funcionários a estarem em contato com novos aprendizados. Mas as pessoas não devem se sentir obrigadas a isso. O objetivo dos gestores é mostrar que o aprendizado é um caminho para a evolução de carreira. Isso é a base da cultura de aprendizado nas organizações. 

O significado da cultura do aprendizado

É a forma como as empresas incentivam o aprendizado. Ao criar oportunidades para que seus funcionários desenvolvam novas habilidades, as organizações melhoram a produtividade, os resultados de negócio e a evolução de carreira de seus profissionais. 

Para isso acontecer, é necessário contar com pessoas abertas a adquirir novos conhecimentos, mas também oferecer suporte e condições de aprendizado no local de trabalho. 

Por que investir na cultura do aprendizado?

De acordo com relatório do LinkedIn de 2023, as habilidades exigidas para as vagas mudaram em torno de 25% desde 2015. Na prática, isso quer dizer que profissionais que não se capacitam, tendem a se tornar obsoletos e despreparados para o mercado. 

Quando pegamos o recorte das habilidades digitais, uma pesquisa da AND Digital aponta que mais de 80% dos diretores entendem que a falta dessas competências tem impacto negativo em suas equipes. 

Além de melhorar o desempenho, estimular o aprendizado dos colaboradores impacta na retenção, uma preocupação recorrente em 93% das empresas, de acordo com o mesmo relatório do LinkedIn.

Se pensarmos que a evolução profissional é uma das principais demandas dos candidatos (especialmente da geração Z), a capacitação e o treinamento ajudam a melhorar a atração de talentos, o engajamento e ainda tornam as companhias mais resilientes às mudanças de cenário. 

Investir para que os funcionários se desenvolvam faz com que uma empresa esteja mais preparada para o futuro e propensa à inovação. 

Como criar uma cultura de aprendizado na sua empresa?

O aprendizado não se dá apenas com uma determinação. A participação da liderança é fundamental. Os gestores devem entender a necessidade de se investir na capacitação e, mais do que isso, também precisam participar ativamente deste processo. 

Outro ponto crucial é que a empresa disponha de mecanismos que facilitem a mobilidade interna. Afinal, se um dos argumentos para aprender é evoluir, o trabalhador precisa enxergar essa possibilidade no dia a dia. 

Criar planos de carreira transparentes e promover o crescimento contínuo dos profissionais é uma forma de materializar o impacto do aprendizado. A partir do momento que os funcionários enxergam o que devem fazer para chegar aonde desejam, não é preciso tanto esforço para convencer alguém a aprimorar suas habilidades. 

Há também a questão prática. Ao criar um projeto de treinamento ou educacional, os gestores devem olhar com atenção para modelos flexíveis e integrados, que facilitam a disponibilidade e o aprendizado em equipe. 

Criar uma cultura de aprendizado contínuo é essencial para empresas que precisam ser competitivas em um ambiente de constante mudança. Quando os funcionários são encorajados a pensar de forma criativa e a experimentar novas ideias, podem encontrar com mais facilidade soluções para os desafios que a empresa enfrenta.

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou