O ChatGPT e sua influência no mercado de trabalho

Desde o fim do ano passado, o anúncio da ferramenta de inteligência artificial ChatGPT, criado pelo Instituto de Pesquisa OpenAI, tem causado discussões sobre o seu impacto na sociedade. 

O que é o ChatGPT?

O ChatGPT é uma ferramenta gratuita de bate-papo, como se fosse um chatbot utilizado nas mensagens de atendimento ao cliente das empresas. A diferença é que ele é capaz de trazer respostas completas sobre os mais diferentes assuntos: e-mails corporativos, textos jornalísticos, artigos sobre diversos temas e até códigos de computação. Desde que o pedido para o robô seja feito da maneira correta, as possibilidades são muitas e as respostas que ele envia tem surpreendido pela qualidade do texto. 

Mas e o mercado de trabalho? De que maneira a utilização da inteligência artificial pode transformar as relações profissionais, os empregos e até o recrutamento? Ainda não temos todas as respostas. Pesquisa do Boston Consulting Group (BCG) indica que investimentos contínuos na inteligência artificial podem trazer aumento de até 20% na receita das empresas.  

Assim como as ferramentas de inteligência artificial são projetos em construção, as consequências de seus efeitos ainda não são totalmente conhecidas. Mas já temos algumas pistas. Confira abaixo.

O recrutamento das empresas

Nos EUA, o dono de uma empresa resolveu medir o impacto do ChatGPT em uma contratação. Ele deu instruções para um texto que era requisito para uma vaga de comunicação. Seu pedido foi o mesmo para os candidatos e para o robô do ChatGPT. Sem contar sobre o envolvimento da inteligência artificial, enviou todas as respostas que recebeu dos candidatos e da IA para sua equipe de recrutamento. O resultado foi que o artigo escrito pelo ChatGPT foi recomendado junto dos apenas 20% de candidatos selecionados nesta primeira fase do processo. 

Essa história mostra como a ferramenta pode trazer problemas práticos e éticos em processos de recrutamento. Avaliar as habilidades de um candidato pode ser um desafio extra para o RH. Se um profissional produz um texto do qual ele não teve trabalho algum para fazer qual é sua real competência? A mesma pergunta deve ser feita dentro das empresas. Até que ponto um profissional pode ter vantagens em seu dia a dia com o uso desta tecnologia? Essas são algumas das questões que os gestores devem começar a olhar. 

As profissões

Outra questão que surge é de que forma as aplicações da inteligência artificial do ChatGPT podem substituir ou facilitar a vida de profissionais como redatores e profissionais de atendimento ao cliente. Primeiro, é importante ressaltar que toda vez que uma nova tecnologia aparece essa dúvida vem à tona. Especialistas ainda são cautelosos em projetar o desaparecimento de certas profissões. 

O que alguns estudiosos defendem é que a inteligência artificial não vai tirar o emprego de ninguém, o que pode acontecer é que as vagas sejam preenchidas por profissionais que saibam utilizar essas tecnologias melhor do que outros. Quando há grandes mudanças, é natural que os empregos se transformem e a capacidade de adaptação e de aprendizado das pessoas sejam colocados à prova. 

Por outro lado, mesmo com conteúdo bem formulado e escrito, a curadoria das informações da inteligência artificial, assim como o “treinamento” que elas recebem precisam ser feitos e novas possibilidades de trabalho podem surgir. 

A criatividade e a capacidade de escrita

Assim como a calculadora colaborou ao longo do tempo para que muitas pessoas perdessem a capacidade de fazer cálculos ou o uso do celular fez com que a gente deixasse de memorizar os números de telefone, o ChatGPT pode trazer efeitos que reduzem a capacidade de escrita e a criatividade das pessoas. 

A utilização constante das ferramentas de inteligência artificial pode fazer com que as pessoas desenvolvam menos a capacidade de escrita e, lá na frente, percam também suas habilidades de comunicação verbal (que é estimulada pelo encadeamento das ideias na escrita). Este exemplo mostra que reduzir a competência da comunicação pode ser um problema. 

Afinal, as habilidades comportamentais ainda não podem ser realizadas pela inteligência artificial e se o profissional não contar com elas pode ter menos oportunidades no mercado de trabalho.  

 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou