Entre tantas possibilidades na área de recursos humanos, há uma certeza: as dificuldades de contratação vão continuar em 2023

Para fortalecer a capacidade de atrair e reter os melhores profissionais, as empresas devem sempre olhar para as novidades. Mas com tantas transformações acontecendo ao mesmo tempo, muitas vezes é difícil abraçar todos os objetivos.

Por isso, selecionamos três tendências que estarão no radar de gestores em todo o mundo e que são mais fáceis para as empresas desenvolverem ações. 

Processos de seleção mais atraentes

Com a alta concorrência por talentos no mercado, é bom começar a cuidar daquele que muitas vezes é o primeiro contato com uma empresa. 

Aqui é preciso ter atenção que o recrutamento e seleção precisa atender as demandas dos profissionais, inclusive da nova geração que chega ao mercado, mas não pode deixar de cumprir as necessidades da empresa. Equilíbrio é fundamental. 

No entanto, algumas medidas podem facilitar a atração. Uma delas é estabelecer um contato transparente e humanizado com os candidatos. Evitar que os processos tenham muitas fases também colabora para uma boa experiência. 

Além disso, o processo seletivo começa já na divulgação da vaga. Assim, uma das estratégias é sempre conversar com as pessoas da equipe para a qual a vaga está aberta. Ninguém sabe melhor do que os próprios integrantes o que deve ser destacado no anúncio e as vantagens de se trabalhar naquele lugar. 

Outro fator que pode decidir na escolha de um candidato é a cultura organizacional. Neste caso, cabe ao RH apresentar essa cultura, com o propósito e valores claros, desde o início do processo seletivo. 

Formação de líderes

De acordo com pesquisa da Gartner, desenvolver lideranças é prioridade para 60% das áreas de recursos humanos. 

Muitos líderes enfrentam dificuldades em lidar com os novos desafios, as novas gerações e as novas formas de gestão. 

Investir em pesquisas e treinamentos que conectem as lideranças com os objetivos de carreira dos profissionais e que possam trazer novas soluções para atender aos negócios da empresa fazem diferença. 

As empresas também devem olhar com cuidado dentro de casa antes de sair ao mercado para contratar um novo líder. Contar com um plano de identificação de novas lideranças é uma forma criativa de otimizar os investimentos de recursos humanos e colabora para melhorar a retenção. Afinal, um líder que já conhece a cultura e os processos da organização tende a trazer resultados mais rápidos. 

Cuidar da formação de líderes é uma vantagem competitiva em qualquer empresa porque um dos principais motivos que levam profissionais a deixarem seus empregos é a maneira como se relacionam (ou não) com as lideranças. 

Bem-estar como parte da sua estratégia

Um dos legados que a pandemia deixou é o foco no bem-estar. Profissionais com os mais diferentes níveis de experiência olham para esse fator com muito cuidado na hora de escolher um emprego. 

Para as empresas, é preciso entender que o bem-estar envolve diferentes aspectos. Ele está nos benefícios, na organização dos processos, na arquitetura e ergonomia dos escritórios e em outras questões pontuais. 

Porém, estabelecer uma estratégia com foco no bem-estar nem sempre precisa de grandes investimentos. Ela passa pela criação de políticas que ofereçam mais equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. 

Uma liderança mais participativa e até mesmo planos de carreira bem definidos ajudam a dar mais segurança para os profissionais permanecerem e planejarem seu futuro. 

Para se destacar no mercado, é importante ter planos claros para reconhecer os profissionais. Seja no momento de uma avaliação, seja com bônus ou promoção. Profissionais que se sentem reconhecidos ficam mais tempo em seus empregos. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou