A cultura organizacional é a missão, o conjunto de valores e as normas que direcionam os comportamentos dos líderes e funcionários para alcançar os objetivos de negócio. 

Por algum tempo, a cultura organizacional era um conceito muito mais relevante para as grandes empresas. Para muitos gestores, ela era vista como um discurso ou até mesmo uma iniciativa cosmética. Outros enxergavam como uma ação mais relacionada ao marketing do que aos negócios. 

Porém, o mercado se transformou e a importância da cultura organizacional se provou na prática. Daqui em diante ela tem tudo para deixar de ser um diferencial e tornar-se uma necessidade para todas as empresas. 

Além de missão e valores, resultados

De acordo com o professor James Heskett, da Harvard Business School, quando uma cultura organizacional é eficiente ela pode fazer a diferença em cerca de 20% a 30% no desempenho da corporação

Seu papel no dia a dia de uma empresa é tão importante que cabe ao CEO e aos principais líderes influenciar as equipes a partir das diretrizes definidas pela cultura. Inclusive, ter um manual da cultura organizacional é essencial, mas ela não pode se restringir apenas às mensagens contidas na missão e nos valores. 

Para uma cultura se tornar efetiva, é preciso que os líderes representem o propósito estabelecido em suas atitudes no dia a dia de trabalho. Em resumo: não basta construir um manual e não o trazer para a prática.

É hora de rever a cultura da sua empresa

Hoje sabemos que o mercado de trabalho se dividiu entre dois mundos. Um que existia  pré-pandemia e outro que vem sendo construído depois da Covid-19. 

Por isso, mesmo as empresas que já contavam com um manual de cultura organizacional, devem olhar novamente para ele. Novas demandas, comportamentos e situações se impuseram e são decisivos para a atração e retenção dos melhores profissionais. 

Segundo estudo da McKinsey, 40% dos profissionais no mundo pensam em deixar seus empregos ou fazer uma transição de carreira até o fim de 2022. As razões desse movimento são a estagnação na carreira, a falta de inspiração nos líderes e de um propósito bem definido. Todos esses aspectos podem ser inspirados pela cultura. 

Um dos erros mais comuns é que muitas empresas focam sua cultura apenas em desempenho, metas e resultados financeiros. A partir de agora, é preciso ir além. Olhar para a empresa com um organismo diverso e construir a cultura a partir de uma visão coletiva. Dessa forma, será mais fácil atrair e contratar as pessoas certas para os postos de trabalho dessas organizações. 

PME também precisa de cultura

Outro equívoco comum é quando os gestores acreditam que a cultura organizacional vale apenas para grandes corporações. 

Nas pequenas e médias empresas, ter uma cultura bem estabelecida é fundamental para que os funcionários se comprometam com os valores e se sintam mais motivados para alcançar seus objetivos que, no fim das contas, devem estar em sintonia com as metas da empresa. 

Os benefícios para as empresas

Uma cultura bem definida facilita a atração das pessoas que se incorporam com facilidade na empresa e são capazes de atingir bons resultados. O comprometimento com a cultura também gera mais motivação e engajamento. 

Uma pesquisa realizada pela PwC traz dados relevantes. Em um mercado de trabalho que ainda está em transição, 72% das companhias entrevistadas afirmam que a cultura colabora para implementar iniciativas de transformação com sucesso. Para 69% dessas empresas que se adaptaram durante a pandemia, a cultura organizacional é uma vantagem competitiva. 

Para especialistas, é a cultura organizacional que vai nortear as estratégias e as operações nas empresas com os melhores resultados. Portanto, nenhuma empresa pode se arriscar a ficar sem uma cultura bem definida. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou