A maioria dos temas que tratamos nos últimos meses são influenciados por transformações causadas no mercado de trabalho por conta da pandemia de Covid-19.  Mas quando se fala em reconhecimento, temos uma questão anterior a essas mudanças. 

Uma Pesquisa de 2014 da ISMA (International Stress Management Association) mostrou que 89% dos profissionais dizem sofrer de estresse por não serem devidamente reconhecidos no trabalho. Em 2012, outra pesquisa, da empresa Aon Hewitt, apontou que o reconhecimento é o mais importante indicador de engajamento. 

Como se pode ver, reconhecimento ou a falta dele é um problema que vem de longe. No entanto, isso não quer dizer que as mudanças do mercado de trabalho não possuem relação com ele.

A chave para aumentar o engajamento

Um levantamento feito pelo instituto Gallup (2021) mostrou que só 21% dos colaboradores se sentem engajados no trabalho. Depois de uma década de crescimento global do indicador, a influência da pandemia deu as caras. A exaustão dos trabalhadores e a ressignificação de muitos componentes profissionais mudaram a percepção das pessoas. 

Os profissionais da geração X, por exemplo, são os que mais sentem falta de reconhecimento. Principalmente por ocuparem cargos de liderança e, muitas vezes, não terem autonomia, não se sentirem valorizados o suficiente ou por não terem perspectivas de crescimento nas organizações, eles acabam se demitindo. 

Se voltarmos no tempo novamente, veremos que engajamento e reconhecimento sempre andaram de mãos dadas. Uma pesquisa da Towers Watson de 2015 mostra que o reconhecimento dos supervisores pode elevar em até mais de 60% o engajamento dos times. 

Se olharmos um pouco mais adiante, não é difícil concluir o papel de reconhecimento no sucesso das empresas. Afinal, funcionários satisfeitos certamente vão atender melhor os clientes e se dedicar mais na busca de inovações que garantam a competitividade da empresa. 

Reconhecimento começa pela liderança

Em artigo anterior do blog utilizamos a pirâmide de Maslow para mostrar os componentes importantes para a motivação e engajamento dos funcionários. O reconhecimento está no quarto nível, ligado à autoestima das pessoas. Em resumo: todos precisam ser reconhecidos. 

O problema é que a cultura do “não faz mais que a obrigação” é tão ou mais antiga do que a falta de reconhecimento. Além disso, até hoje é comum líderes chegarem em posições de destaque das empresas muito mais por suas capacidades técnicas. Muitos não possuem grandes preocupações com relacionamento interpessoal, comunicação e a capacidade de motivar uma equipe. 

Por isso, um dos pontos para melhorar a sensação de reconhecimento entre os funcionários é uma atuação próxima às lideranças. Do outro lado, quem busca ser reconhecido pode e deve conversar com seu líder em busca de respostas do que ele pode fazer para melhorar, crescer na empresa e, finalmente, ser reconhecido. 

Inclusive, gestores precisam ter em mente que o reconhecimento não se trata apenas de aumento de salário embora isso também esteja no pacote. Muitas vezes, uma simples conversa, mostrando ao profissional o que ele pode fazer para melhorar ou o que ele tem feito e que é bom já é um grande passo. Enfim, o bom e velho feedback. 

Criar um plano de reconhecimento

Por falar em salário, o primeiro ponto é de que a maneira como reconhecimento é entendido varia para cada pessoa. Algumas querem crescer, outras querem uma bonificação e há quem prefira mais autonomia ou uma oportunidade de estudo. 

Cabe à área de recursos humanos criar mecanismos de monitoramento que mostrem as necessidades de forma individualizada, ainda que elas estejam baseadas em um plano geral de reconhecimento. 

Aliás, contar com um programa de crescimento e desenvolvimento de profissionais que esteja alinhado à cultura organizacional da empresa é outro fator-chave. Ele dá transparência e colabora para gerenciar a expectativa dos funcionários que já sabem de antemão quais suas possibilidades de serem reconhecidos naquela organização.

Além disso, criar momentos de celebração em que o papel de cada profissional seja valorizado pela forma como seu trabalho contribuiu para as conquistas e objetivos coletivos alcançados também é essencial. 

O reconhecimento deve ser visto como um importante componente estratégico para fortalecer a cultura de uma empresa, garantir melhores índices de retenção e, claro, refletir nos resultados de negócio. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou