As principais tendências de benefícios nas empresas

Os benefícios são vantagens que uma empresa oferece ao funcionário que podem ser convertidos em diferentes tipos de ganhos profissionais ou pessoais. Alguns desses benefícios, como o vale-transporte, são obrigatórios para as empresas por conta da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas).

Com muitas mudanças em modelos de trabalho e da percepção dos trabalhadores sobre as prioridades que buscam em sua atividade profissional, os benefícios tradicionais como plano de saúde, vale transporte e alimentação, muitas vezes se tornaram insuficientes ou dispensáveis.

Além disso, a entrada de profissionais de uma nova geração também traz novas demandas para o mercado de trabalho.

O foco das empresas em saúde e descanso

Uma transformação do mercado que se reflete na política de benefícios das organizações é o equilíbrio entre vida e trabalho. Por isso, as empresas investem em benefícios que vão além do tradicional plano de saúde. 

Academias de ginástica, incentivo a esportes, meditação, ioga entram nesta categoria de saúde e bem-estar. Recentemente, está em discussão o vale-turismo ou auxílio-viagem. Neste caso, é uma forma de a empresa ajudar no descanso das férias do profissional. 

Há até empresas que oferecem possibilidades de plano de viagem para os funcionários. É uma forma de garantir que aquele dinheiro será utilizado para recarregar as energias do profissional. A tendência é tão forte que há na Câmara dos deputados há ainda um projeto de lei que propõe a criação e oficialização do vale-turismo. A ideia é que as empresas dispostas a participar, recebam incentivos fiscais.  

Outro benefício que ganha força é a licença paternidade. Embora a lei determine cinco dias  de folga para o pai de um recém-nascido, cada vez mais empresas oferecem folgas estendidas. Algumas dessas novas licença paternidade variam de 20 dias a 40 dias e há até algumas que já oferecem três meses ou mais. 

Benefícios flexíveis e outras tendências

Com o objetivo de atender as particularidades do maior número de pessoas, os benefícios flexíveis ganham cada vez mais espaço.

Para quem trabalha em home office, pode escolher vantagens específicas como a conversão de seus benefícios em entrega de comida, por exemplo. Para quem prefere ir ao escritório, os benefícios podem ser convertidos em aplicativos de mobilidade ou em combustível para o carro. Neste formato, o uso varia de acordo com a necessidade de cada profissional e de acordo com as definições de cada convenção coletiva. 

Como escolher o benefício?

Uma das tarefas da equipe de RH é compreender as transformações do mercado de trabalho e o que tem mobilizado mais os profissionais na busca por emprego. 

Os benefícios são uma forma de aumentar engajamento e produtividade, fortalecer a marca empregadora, reduzir turnover e reter talentos. Por isso, é tão importante acompanhar e entender os movimentos do mercado na hora de escolher um benefício. 

Neste sentido, a área de recursos humanos empresta conceitos do marketing. Ela precisa entender o que o seu público-alvo enxerga como valor em um benefício. Por exemplo: uma empresa pode oferecer gympass, quando os colaboradores desejam aumento de vale-alimentação. Então, realizar pesquisas dentro da organização, além de benchmarking do setor é um processo mais assertivo para encontrar a melhor resposta.

Por último, mas não menos importante: os benefícios devem estar sempre alinhados à cultura organizacional. De maneira simples, eles precisam refletir os valores e a visão que a empresa possui. Eles passam uma mensagem para o mercado e contribuem para o posicionamento da marca. 

Portanto, a principal tarefa do time de RH é se manter atento para acompanhar novidades e seguir alinhado às necessidades dos profissionais que a empresa deseja ter na sua equipe. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou