Em praticamente todos os relatórios de recursos humanos e estudos de mercado dos últimos anos, a palavra incerteza aparece. A velocidade das mudanças e a necessidade de lidar com tantas transformações é um dos grandes desafios para gestores. 

Tendo em vista que a “incerteza” é uma das poucas certezas que temos, chega uma hora que é preciso saber o que fazer com ela. Em vez de desistir, é possível trazer esse elemento para perto e fazer da imprevisibilidade uma aliada. 

Embora tenha sido desenvolvido em 2012 pela Unesco, foi em 2020, no início da pandemia de Covid-19, que o termo Future Literacy repercutiu no mundo dos negócios. O principal responsável foi um artigo do diretor de transformação digital da Schneider Electric, Stefano Olivieri. 

A ideia central é a de que líderes que incentivam e desenvolvem a capacidade de se antecipar ao futuro estarão em vantagem no mercado de trabalho e dos negócios.

O que significa Future Literacy?

Em tradução literal do inglês, o termo é equivalente a “alfabetização do futuro”. Na prática, pode ser definido como a capacidade humana de agir frente aos desafios que virão. Com essa habilidade, em vez de sermos pegos desprevenidos e começarmos a agir no “modo desespero”, é possível planejar e pensar estratégias sem temer o futuro.

Uma habilidade que pode ser desenvolvida

É importante deixar claro que imaginar é diferente de adivinhar. Portanto, a primeira lição é que devemos contar com diferentes possibilidades. Ou seja, em vez de se apegar às convicções que já temos, o exercício é conceber uma realidade que possa se apresentar com múltiplos cenários e até ser contrária a algumas de nossas crenças. 

Um exemplo prático quando pensamos em nossa carreira: se focarmos apenas em curto prazo, como vamos saber quais conhecimentos serão essenciais para que o nosso trabalho continue valorizado nos próximos anos? 

Sem olhar para transformações, fica mais difícil perceber, por exemplo, que aquilo que fazemos hoje pode não ter tanto valor no futuro. Cumprir metas e entregar resultados no dia a dia seguem importantes para qualquer empresa, mas também é preciso estimular o olhar para tendências. Conhecer outras realidades e pontos de vista ajudam a ver além daquilo que já está posto no quotidiano. 

Pensar o futuro de acordo com aquilo que desejamos é um equívoco. Assim como tentar preencher as incertezas com as possibilidades que já temos no presente. Um exemplo: Dizem que certa vez Henry Ford afirmou que se ele perguntasse para as pessoas o que elas mais desejavam, a resposta seria “cavalos mais rápidos”. Mas ele inverteu a lógica e imaginou o automóvel. 

Vantagens de imaginar o futuro

Ao exercitar a habilidade de imaginar o futuro, fica muito mais fácil criar inovações. Da mesma forma, antecipar movimentos permite que uma empresa atue com mais agilidade frente a uma mudança brusca de cenário. 

Pense novamente na época da pandemia. Um gestor que jamais concebeu a ideia de aceitar o trabalho remoto certamente teve muito mais dificuldade para lidar com o eventual isolamento dos funcionários. 

Ao traçar diferentes opções para o futuro, fica mais fácil fazer escolhas quando uma transformação chegar. Desenvolver a habilidade de compreender diferentes cenários fará com que uma organização tenha vantagem em momentos de incerteza e complexidade, como acontece em uma crise sanitária, econômica, em uma guerra ou a partir da consolidação de uma nova tecnologia. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou