Motivação: o que toda empresa busca

Não importa o tamanho. Se há uma característica que toda empresa busca em um novo profissional é a capacidade de se motivar. Em resumo, a motivação é a energia que direciona um indivíduo a agir, a fazer acontecer.  Ela está no cafezinho pela manhã, mas também em muitos outros componentes que podem ser impulsionados pelas organizações. 

Portanto, as organizações que entenderem como motivar seus profissionais terão muito mais condições de se movimentar em direção a melhores resultados. Mas é preciso dizer que os últimos tempos foram difíceis neste sentido. Incertezas, mudanças e novos obstáculos consumiram a energia como poucas vezes se viu. 

De acordo com pesquisa da consultoria Mercer, o número de profissionais que se sentem estimulados (ou energizados para usar a tradução literal do inglês) caiu de 74% em 2019 para 63% em 2022. Segundo o mesmo estudo, funcionários que afirmam estar à beira do esgotamento aumentaram de 63% há três anos para 81%. 

Uma das formas para se entender a motivação no ambiente de trabalho foi desenvolvida ainda no século passado (1959) pelo psicólogo norte-americano Frederick Herzberg. Ele elaborou a Teoria dos Dois Fatores. Nela, a motivação para trabalhar é dividida em duas frentes: os fatores ligados ao ambiente e as condições de trabalho e aqueles que diretamente influenciam o desenvolvimento de carreira e a satisfação profissional.

Abaixo, é possível ver como esses fatores da motivação podem ser melhorados atualmente, seguindo as tendências do mercado de trabalho. 

Desenvolvimento de carreira

Um dos objetivos de qualquer empresa é reduzir a rotatividade e, dessa forma, elas desejam contar com profissionais motivados e que tenham planos de permanecer em longo prazo. 

Um dos componentes é valorizar os profissionais de forma mais individualizada. Além de benefícios flexíveis, é importante oferecer opções de acordo com as preferências de cada um.

Alguns vão querer ser reconhecidos por meio de programas educacionais, outros preferem ser pagos por novas competências adquiridas. Com a agilidade dos novos tempos, os planos de recompensa devem funcionar melhor em prazos menores do que se planejava antes. Em vez de um ano de trabalho, os bônus podem ser atrelados por projetos. 

Quando se fala em retenção, outro ponto que os líderes de recursos humanos devem ter em mente são as mudanças na motivação profissional ao longo da vida. Elas podem mudar de acordo com suas pretensões de carreira e por uma conjuntura pessoal e familiar. 

Em suma, o desenvolvimento de carreira está ligado à forma de se reconhecer um profissional, a autonomia que ele possui dentro da organização e a sensação de crescimento profissional e evolução pessoal que a empresa proporciona. 

Ambiente e condições de trabalho

É importante entender que este é um conceito amplo. Além de tratar diretamente do salário, as condições de trabalho passam pelas ferramentas disponibilizadas, que podem ser uma máquina, um computador ou uma mesa. 

No pós-pandemia, a preocupação com o bem-estar e a saúde se tornaram um diferencial. Profissionais estão de olho na flexibilidade para trabalhar, na estrutura dos escritórios e na preocupação que as empresas demonstram sobre sua segurança psicológica. 

Mas há diversas formas de cuidar da saúde física e mental, muitas delas indiretas. O dia a dia conta e muito. Processos administrativos que eliminem a burocracia e agilizem podem ser gatilhos para um trabalho mais tranquilo e produtivo. Uma cultura organizacional que promova relações de respeito e camaradagem e lideranças que valorizem boa comunicação e a transparência também são formas de se criar melhores condições de trabalho. 

Benefícios da motivação

Contar com profissionais motivados é uma excelente estratégia para aumentar a capacidade de atração de novos profissionais. Afinal, os funcionários demonstram sua energia também pelas redes sociais, fortalecendo a marca empregadora. 

Se alguém trabalhar motivado, provavelmente se dedicará muito mais aos objetivos da empresa do que em buscar uma recolocação, o que melhora os índices de retenção. Além disso, os efeitos de pessoas motivadas já foram medidos cientificamente. Uma pesquisa do Gallup, mostrou que a motivação torna os profissionais engajados e 17% mais produtivos e as empresas que contam com o trabalho dessas pessoas tendem a ser 21% mais lucrativas. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou