Saiba como criar uma Persona de vaga

O especialista em marca empregadora Matthew Jeffery disse certa vez que “recrutamento é marketing. Se você é um recrutador nos dias de hoje e não se vê como um profissional de marketing, você está na profissão errada”. 

Há quem enxergue exagero na afirmação, mas não há dúvidas de que quando se fala de marca empregadora e atração de talentos, muitos conceitos do marketing são úteis para a área de recursos humanos. Aqui já comentamos sobre o marketing de recrutamento e agora trazemos outro ponto em que o RH pode e deve utilizar com base no que os profissionais de marketing costumam fazer em suas estratégias: a persona.

Do latim, persona é a palavra que tem origem na máscara utilizada pelos atores teatrais. É dela que vem outra palavra da família, “personagem”. No marketing a persona funciona como se fosse uma máscara que representa as principais características e comportamentos do cliente. Quando transferimos essa ideia para recursos humanos, a persona serve para contemplar as habilidades e competência do candidato ideal para uma determinada vaga. 

Em um contexto de mercado em que atrair o perfil adequado para uma vaga representa redução de custos e otimização do tempo de contratação, criar uma persona de vaga com assertividade é uma vantagem para as empresas. Por isso, fizemos uma lista para você saber o melhor caminho para criar a sua. 

Converse com a equipe

Antes de criar sua descrição, vale bater um papo com outros profissionais da equipe que está com a vaga aberta. Entenda as habilidades de cada um, as metas, dificuldades, princípios e valores. Com essas informações, ficará muito mais fácil criar uma descrição da vaga que tenha compatibilidade com o que o time precisa. 

Crie uma pessoa quase de verdade

Sabe quando a criança dá nome, idade e até sabe quais as comidas preferidas de uma boneca? É mais ou menos o que você deve fazer. Na hora de criar sua persona faça com que ela seja a mais realista possível. Defina a experiência, preferências, formação e até o que ela gosta de fazer (que deve ter sintonia com as necessidades da equipe, lembra?). É bom ter em mente que não basta apenas estabelecer características sociodemográficas. Até porque os dados pessoais ajudam a humanizar a persona, mas não podem limitar nem discriminar candidatos que não possuam aquelas características. Foque nas habilidades técnicas e comportamentais para que o match seja perfeito.

Habilidades comportamentais (soft ou power skills)

Que tipo de perfil aquela vaga necessita? Alguém mais analítico, criativo ou um profissional que combine em alguma medida essas duas características? Qual a importância dos componentes como liderança, execução, relacionamento para aquela função?

Habilidades técnicas (hard skills)

Quais conhecimentos são essenciais para desempenhar bem aquela atividade? Ela precisa dominar os conceitos de gestão de projetos, por exemplo? Ela deve saber como trabalhar com um determinado software ou é possível aprender durante a integração na empresa?

Expectativa futura

Procure listar quais características são valorizadas pela empresa ou aquelas que são necessárias para complementar uma equipe. Também descreva o que ela espera para o futuro. A tradicional pergunta do que ela deseja em cinco anos serve como base para encontrar alguém ideal para o plano de carreira daquela vaga. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn. Confira outros artigos no blog da Pyou