Como pequenas e médias empresas podem atrair profissionais

A essa altura não é novidade que a pandemia transformou o mercado de trabalho. O que ainda está em pauta é como se adaptar a tantas mudanças em tão pouco tempo. 

Muitas das sugestões para atração e retenção de talentos partem do olhar de grandes empresas. Ou até mesmo de startups que recebem aportes generosos e, como as grandes empresas, possuem muito mais recursos e são capazes de implementar ações com rapidez.

Mas a realidade da grande maioria das pequenas e médias empresas é outra. É preciso disciplina e criatividade para conseguir trazer novidades que encantem os bons profissionais sem prejudicar o caixa da empresa.  Portanto, esta é a ideia deste artigo. Vamos trazer algumas dicas para que as micro, pequenas e médias empresas também possam modernizar sua estratégia de recursos humanos sem prejudicar as contas. 

As vantagens de uma empresa menor

Antes de qualquer coisa, é preciso que as micro, pequenas e médias empresas saibam que há, sim, muitas vantagens em se trabalhar em uma empresa de menor porte e, por que não dizer, em um contexto de escassez. Autonomia, liberdade para inovar e a possibilidade de realizar diferentes atividades nem sempre são possíveis nas grandes corporações. 

Muitos profissionais buscam exatamente isso: a capacidade de criar algo novo do zero, de ampliar seus conhecimentos e ser desafiado em um ambiente cheio de possibilidades. Cabe às empresas saber como destacar essas vantagens ao apresentar uma oportunidade de trabalho. Além disso, a chance de crescer rápido também é um ponto decisivo capaz de fazer a cabeça dos profissionais. 

Na prática, em vez de tentar anunciar uma vaga como as grandes, as PME devem valorizar aquilo que são seus diferenciais e, assim, encontrar profissionais alinhados à sua visão.

Mais flexibilidade

De algumas tendências é impossível fugir e a flexibilidade é uma delas. De acordo com pesquisa da PwC e Atlassian, 78% dos profissionais querem um regime de trabalho flexível. Ou seja, nas PME em que há a possibilidade de se realizar o trabalho à distância, essa medida não deve ser ignorada.

A parte boa é que as PME podem remodelar sua rotina e abrir mão do espaço físico, economizando em escritório e investindo em notebooks e equipamentos para o teletrabalho. No caso das PME que não podem abrir mão da presença dos funcionários, é possível estabelecer outras formas de flexibilidade como, por exemplo, oferecer aos colaboradores a chance de escolher os próprios benefícios. Por falar neles…

Novos benefícios

Muitos empresários passaram a oferecer benefícios que antes não haviam nas PME. Saúde, transporte, alimentação e academia foram os principais. Mas os pequenos negócios também já começam a implantar novidades como licença maternidade e paternidade. Com orçamento mais curto, as PME devem investir na evolução de carreira e no seu ambiente com mais liberdade como uma estratégia de atração. 

Digitalização e experiência

Entrevistas virtuais se estabeleceram como prática corriqueira e as PME também podem embarcar nesta tendência. A digitalização dos processos é uma forma de economizar tempo e dinheiro e tende a agradar os candidatos. Por falar em agradar, é importante que a empresa também pense na experiência do processo. Não é necessário reinventar a roda, mas ter atenção em como o candidato é tratado, com respeito ao horário e perguntas que não invadam sua vida pessoal. O retorno também deve ser rápido e a comunicação transparente. Aliás, o feedback é uma ferramenta importante tanto no processo de seleção quanto no dia a dia de trabalho para a retenção dos profissionais. Com isso, a reputação da marca ganhará pontos importantes na hora que um candidato precisar decidir sobre onde irá trabalhar. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn

Confira outros artigos no blog da Pyou