A importância da gestão de RH para PMEs

Um ambiente de escassez. É comum ouvir essa definição de profissionais e executivos que atuam em pequenas e médias empresas. Ao contrário de multinacionais poderosas, PMEs que possuem um número limitado de recursos não podem se dar ao luxo de fazer um investimento equivocado. Um passo em falso pode comprometer não só a lucratividade como também a própria sobrevivência do negócio. 

Ao mesmo tempo, mais do que em qualquer outro lugar, as pessoas são o ativo mais valioso das PMEs. Um estudo do Fórum Econômico Mundial aponta que 94% dos líderes de empresas desejam que os colaboradores desenvolvam novas habilidades para corresponder às necessidades do negócio. Ou seja, quando se fala em PMEs a expressão “poucas e boas” resume qual deve ser o principal parâmetro do quadro de funcionários. 

Desenvolver pessoas é investimento

Por menor que seja uma empresa, quase sempre ela conta com um especialista para cuidar de sua contabilidade. O gestor não pode dedicar seu tempo para uma tarefa que o impediria de cuidar de assuntos mais urgentes e estratégicos da empresa. Mas por que muitas vezes esse mesmo raciocínio não se repete na hora de investir em uma gestão profissional de RH? Na visão de muitos gestores, contar com parceiros de recursos humanos ainda é visto como gasto.

Mas e se fizermos o raciocínio inverso? Quanto de dinheiro se perde quando não há uma gestão profissional de recursos humanos? 

Especialistas estimam que uma contratação errada equivale entre 3 a 15 vezes o salário de um profissional, de acordo com sua experiência ou posição na hierarquia. Sem falar na otimização do tempo. Nenhum gestor consegue realizar bem suas tarefas se precisar olhar áreas transversais. É exatamente por isso que ele precisa contar com pessoas capazes de realizar a tarefa em menos tempo e com mais eficiência. Mas quando se fala em RH, muitos líderes tentam abraçar a função e acabam prejudicando duas áreas ao mesmo tempo: a de recursos humanos e a própria gestão do negócio que depende de sua dedicação. 

Da mesma forma que um especialista em contabilidade conhece os detalhes que otimizam os gastos, especialistas em recursos humanos se tornaram uma área estratégica e sabem exatamente como criar ou revisar um processo seletivo capaz de atrair profissionais que tenham compatibilidade com o propósito e a cultura organizacional da empresa. Além de evitar uma contratação errada, o trabalho especializado de RH também colabora para outra forma de otimizar o dinheiro: a retenção. 

Retenção e crescimento da empresa

Apesar do alto desemprego no país, o cenário é de escassez de mão de obra especializada nas mais diferentes áreas. Por isso, encontrar um profissional capaz de permanecer por mais tempo, além de aumentar as possibilidades de crescimento da empresa também é sinônimo de economia. 

Mas a retenção depende de muitos fatores. Uma consultoria de RH é capaz de acompanhar mais de perto os processos da empresa, realizar pesquisas e avaliações que mostram os pontos fundamentais para a retenção. Desenvolver planos de carreira, políticas de benefícios, capacitação e treinamentos de acordo com as aspirações dos colaboradores é fundamental para aquilo que todo empresário deseja ter de seus funcionários: engajamento. 

Gestão estratégica de pessoas é vantagem competitiva

Em um cenário de intensa transformação, contar com profissionais mais flexíveis, adaptáveis e resilientes não é apenas detalhe, mas uma vantagem competitiva. Principalmente porque os serviços de consultoria de RH são cada vez mais flexíveis e mais acessíveis para qualquer tamanho de empresa. Portanto, contar com um parceiro estratégico de RH se tornou um investimento com retorno cada vez mais rápido. Afinal, estar a frente da concorrência e conquistar mais clientes é o que toda empresa deseja em um mundo cada vez mais competitivo. 

Para receber mais dicas siga nossas páginas no Instagram e no LinkedIn