Muito já se falou sobre as dificuldades dos profissionais mais velhos para encontrar um emprego. O preconceito com a idade já ganhou até uma expressão própria: o etarismo. Mas como o mercado de trabalho não para de se transformar, as dificuldades continuam, mas novos ventos parecem soprar em favor dos mais experientes. 

No Brasil, já há um fenômeno que chama atenção no ensino superior. Enquanto o ingresso de alunos com menos de 59 anos aumentou apenas 7% entre 2015 e 2019, o número de idosos entrando nas universidades foi quase 7x maior.

Em busca de mais diversidade, as empresas também querem contar com profissionais mais experientes e começam a olhar de outra forma para quem está acima de 50 anos. 

Obstáculos para profissionais 50+ 

Segundo pesquisa da Maturi, 40% dos profissionais com mais de 50 anos estão em busca de trabalho. Metade dos participantes da pesquisa perdeu o emprego durante a pandemia e 64% dizem que o etarismo é o principal obstáculo para conquistar uma vaga. Por muito tempo, a visão do mercado de que profissionais mais velhos ficam ultrapassados parece ter se consolidado. Mas em qualquer área profissional é possível encontrar histórias como a da atriz Fernanda Montenegro, que escreveu seu primeiro livro perto dos 90 anos e acabou de ser eleita para a Academia Brasileira de Letras.  

Uma tendência que se desenha

Primeiro é importante dizer: a população brasileira está envelhecendo. Até 2050, um terço da população estará acima dos 60. Além disso, com o reconhecimento da importância de habilidades comportamentais como resiliência e inteligência emocional, o cenário fica mais favorável para o profissional mais velho. Afinal, sua vivência possibilita que ele esteja mais preparado para lidar com situações complexas, como as constantes mudanças e transformações que as organizações precisam enfrentar. Em alguns setores como o Jurídico, Contabilidade e Recursos Humanos, já há um aumento na contratação de profissionais 50+ e a tendência é que esse movimento se espalhe para outros segmentos. Inclusive, algumas empresas já possuem programas de contratação para profissionais nesta faixa etária.  

Vantagens de um profissional experiente

Além de ter passado pelas mais diferentes situações que muitos jovens ainda nem sonham em experimentar, o profissional mais velho também possui comprometimento. De acordo com o IBGE, mais de 17 milhões de famílias no Brasil, contam como seu principal provedor alguém de mais de 60 anos. Mas não é só isso. De acordo com a pesquisa Global Talent Trends, do LinkedIn, 89% dos profissionais de Recursos Humanos entrevistados dizem que uma equipe composta por diferentes gerações traz mais chance de sucesso para as empresas. Ainda segundo essa pesquisa, 56% das organizações atualizaram suas políticas para atrair profissionais de idades variadas. Muitas vezes, profissionais mais velhos também desenvolvem um senso crítico mais apurado e planejam suas decisões mais a longo prazo. Eles levam muito em consideração a cultura e o projeto para os quais vão se dedicar e tendem a permanecer por mais tempo na mesma empresa. 

Dicas para conseguir um emprego

Enquanto as empresas mudam suas políticas de contratação, profissionais acima dos 50 anos também precisam fazer a lição de casa para conseguir a sonhada recolocação. É importante desaprender hábitos antigos. Na maioria dos processos não há mais envio de currículo impresso. Além disso, muitas oportunidades estão nas mídias sociais e saber como navegar nesse cenário é fundamental. Outra dica importante é se informar sobre as organizações que possuem programas especiais para a contratação de profissionais mais velhos e, claro, ter confiança de que muitas empresas buscam transferência de conhecimento e quem tem mais experiência sabe como fazer isso melhor do que ninguém.