Em meio a um turbilhão de impactos, a transformação se tornou uma espécie de cálice sagrado para todas as empresas. Mas conseguir mudar o ponteiro nas finanças e na reputação das companhias não é uma tarefa fácil e há muitos componentes que influenciam no sucesso de um projeto como esse. A diversidade é um deles e ganha cada vez mais espaço. 

De acordo com uma pesquisa da consultoria Willis Towers Watson, 90% das empresas ouvidas querem se transformar em organizações diversas até 2023. Além de justiça social, inúmeros estudos comprovam que a diversidade é também uma maneira eficaz de transformar um negócio, aumentar o engajamento dos colaboradores e a rentabilidade das companhias. 

Mais do que nunca é importante entender os benefícios das equipes diversas e também como estimular esse tema dentro das organizações. 

Diversidade significa mais produtividade e criatividade

De acordo com estudo da McKinsey, priorizar a diversidade no recrutamento colaborou para resultados 25% mais eficientes. A razão para isso é simples: com mais inclusão, novos perfis de profissionais trazem mais pontos de vistas e experiências, o que proporciona aumento da criatividade e uma capacidade maior de entregar novas soluções para os clientes. Além disso, equipes mais diversas tendem a reduzir conflitos internos. É uma relação em que todos ganham.

D&I gera mais engajamento

Um ambiente mais diverso, com pessoas de diferentes gêneros, etnias e origens, é capaz de proporcionar um sentimento maior de pertencimento e confiança nos valores da empresa. Segundo levantamento da Gartner, empresas que alcançaram uma força de trabalho mais diversa, conseguiram um aumento de 12% na intenção de seus colaboradores de continuar trabalhando nessas organizações. Além disso, profissionais que fazem parte de equipes mais diversas e inclusivas, tendem a se engajar mais com o propósito das empresas que, além de buscar resultados financeiros, entregam benefícios à sociedade. E quando se criam vínculos mais fortes com o propósito também há  melhoria de muitos outros indicadores.

A saúde mental também melhora

Se a cabeça vai mal, o resto também não anda bem. Para se ter uma ideia, uma pesquisa do LinkedIn mostrou que cerca de 50% das pessoas LGBTI+ não se sentem confortáveis para falar de sua orientação sexual. Profissionais que ficam à vontade para ser quem são e se sentem tratados com dignidade certamente ganham em bem-estar emocional. E ninguém duvida de que isso é um grande estímulo para criar um vínculo forte com a empresa e, consequentemente, alavancar melhores resultados de negócio.  

É bom começar pelos líderes

Na hora de promover projetos de diversidade, a área de recursos humanos possui um papel fundamental. Iniciar a transformação pelas altas e médias lideranças para que o processo alcance toda a força de trabalho. Para os novos profissionais que chegam, encontrar pessoas abertas ao tema ou até mesmo com um histórico de implementação de projetos na área, pode ser um fator determinante para conseguir uma verdadeira mudança de cultura. 

Ter uma agenda para o tema

Outro ponto fundamental quando se fala em diversidade, inclusão e equidade é criar projetos afirmativos, incentivar discussões e levar o tema para todas as áreas da empresa. Muitas empresas criaram áreas específicas sobre o assunto para estimular os debates dos diversos componentes que envolvem diversidade e inclusão. Criar materiais didáticos e informativos, webinars, comitês e falar abertamente sobre a importância do assunto nas redes sociais podem acelerar o processo para uma empresa mais diversa e muito mais pronta para a transformação.